Gizmodo



Games

O guia definitivo para os gamers casuais em 2017

Por:

3 de julho de 2017 às 18:52

COMPARTILHE 28 0

Os novos consoles finalmente foram todos anunciados, a poeira está começando a abaixar, e agora existem muitas opções para qualquer pessoa que queira voltar aos jogos ou até mesmo começar do zero. Talvez você não saiba as diferenças entre os PS4 lançados ou não tenha nenhuma ideia de quem seja Nathan Drake – e não tem nenhum problema nisso. Nem todo mundo tem tempo e motivação para ser um entusiasta dos games, então este guia foi feito para essas pessoas: vamos explicar os consoles, os jogos e as tecnologias que você precisa conhecer para ter uma conversa razoavelmente detalhada sobre videogames em 2017.

Nós baseamos o nosso guia em torno de opções que você tem para hardware de games, incluindo um videogame Windows (um PC), escolhendo as especificações que você precisa saber. Além disso, levamos em conta também os jogos chave de cada plataforma que podem fazer você escolher um em vez do outro. Se você quer jogar videogame, mas não sabe por onde começar, aqui está um bom início para a sua jornada.

PlayStation 4 Slim

playstation-4-slimImagem: Sony

Em termos de vendas, pelo menos, o PlayStation 4 está vencendo o Xbox One de forma confortável neste momento, e o modelo Slim é uma versão atualizada do PS4 original lançado em 2013, que não está mais à venda. Os preços começam em cerca de R$ 1.799.

O Slim possui um processador de oito núcleos de 1,6 GHz feito pela AMD, 8GB de RAM e uma placa gráfica capaz de atingir 1,84 teraflops – uma medida de quantos cálculos intensamente gráficos um sistema pode fazer dentro de um segundo, e um atalho útil para comparar as plataformas. Além disso, você tem 500GB ou 1TB de armazenamento para jogos e outros conteúdos.

A exibição de vídeo chega a 1080p com suporte a tecnologia HDR. Você também vai ter um leitor de Blu-ray incorporado e poderá escolher entre as cores preta ou branca. Todos os jogos do PS4 funcionarão no Slim e no Pro, mas a versão Pro dá aos desenvolvedores a chance para aumentar a taxa de atualização de quadros e tornar suas cenas mais detalhadas – como esse poder extra é utilizado depende de jogo para jogo.

PlayStation 4 Pro

playstation-4-proImagem: Sony

É uma versão topo de linha do PlayStation 4 que na verdade é mais um PlayStation 4.5. Se você quer o melhor console que a Sony tem para oferecer nesse momento, essa é a opção certa, embora um upgrade não faça sentido para todo mundo e o custo seja considerável: US$ 400 ou mais. Essa versão ainda não foi lançada oficialmente no Brasil e chegará apenas em dezembro.

Dentro dele tem um processador AMD de oito núcleos com 2,1 GHz, 8GB de RAM mais 1GB de RAM para tarefas “que não sejam games” e poder gráfico o suficiente para atingir 4,2 teraflops: isso permite que ele rode resolução até o 4K com HDR (dependendo do jogo e da sua TV). O console só está disponível com espaço de armazenamento de 1TB.

Novamente, tem um drive Blu-ray incluso, embora não haja suporte para o 4K aqui. Todo esse poder faz com que o console ganhe mais corpo. O Pro é cerca de 14% mais largo, 11% mais longo, 40% mais alto e quase 60% mais pesado que a versão Slim, além de não ter uma opção na cor branca. O que, no final das contas, levando em consideração também o preço, pode fazer gamers casuais pensarem duas vezes.

Os melhores jogos do PlayStation

playstation-4-jogosImagem: Kotaku

Como mencionamos, os jogos do PlayStation vão rodar bem nos dois consoles, embora muitos terão uma aparência melhor e um desempenho mais liso no Pro. A Sony diz que os usuários do Pro não possuem uma vantagem quando se trata de taxa de atualização de quadros quando estão utilizando o serviço online PS Plus, mas muitos games terão um visual melhor na sua TV de qualquer forma.

Em termos de jogos que você pode aproveitar apenas no PS4, você terá opções como o conto místico The Last Guardian, a série Uncharted, a ação fantasiosa de Bloodborne, a jornada de robôs contra natureza em Horizon Zero Dawn e o jogo de exploração espacial sem fim No Man’s Sky. No geral, a coleção de jogos exclusivos da Sony tende a ser mais forte do que a da Microsoft, embora você possa encontrar defensores dos dois lados.

Temos que mencionar também que ambos os consoles da Sony são compatíveis com o headset PlayStation VR, mas, assim como nos jogos em geral, você terá uma experiência melhor na versão mais poderosa e cara, o PS4 Pro – na verdade, depende muito do desenvolvedor.

Xbox One S

Xbox One S Console & Controller Front TiltImagem: Microsoft

O Xbox One S é a versão slim do console da Microsoft. Uma versão menor e com alguns retoques em relação ao modelo original lançado em 2013, com um pequeno upgrade no hardware. Se você não quiser esperar ou pagar um pouco mais pelo poder extra que vem no Xbox One X, ele te custará US$ 300 ou mais – ainda não há preço oficial no Brasil, e a expectativa é de que ele seja lançado por aqui nessa segunda metade do ano. Dá para escolher a versão branca ou preta.

Por debaixo do capô, você tem um processador AMD de oito núcleos com 1,75 GHz e 8GB de RAM. O sistema é capaz de atingir cerca de 1,4 teraflops de potência gráfica, embora a Microsoft nunca tenha dado um número oficial como fez com o Xbox One X. Em termos de armazenamento, tem opções com 500GB, 1TB e até 2TB.

O Xbox One S pode exibir jogos em resolução 4K com suporte ao HDR, mas ele consegue isso ao realizar um esperto upscaling – técnica na qual as resoluções menores passam por um processamento que busca simular uma qualidade maior –, então não é uma máquina verdadeiramente 4K. Existe, no entanto, suporte para Blu-rays 4K por meio do drive integrado do console.

Xbox One X

xbox-one-xImagem: Microsoft

Já sabemos muitos detalhes sobre o Xbox One X, embora ainda existam algumas incertezas e não dê para dizer que o console começará mesmo a ser vendido até novembro. Assim como o PS4 Pro, é um modelo que busca eliminar lacunas entre a geração atual e a próxima geração de consoles. Ele custará US$ 500. Os preços no Brasil ainda não foram revelados e ainda não há uma definição para o início das vendas, mas a expectativa é de que ele seja vendido por aqui ainda em 2017, ou no começo de 2018.

O que sabemos é que ele conta com um processador AMD de oito núcleos com 2,3 GHz, 12GB de RAM e processamento gráfico o suficiente para produzir 6 teraflops de poder, um novo marco para os consoles. Ele será capaz de rodar games nativamente a 4K com HDR também e virá com um drive Blu-ray igual ao do Xbox One S, além de 1TB para armazenamento.

Em termos de tamanho, o console ainda não teve suas medidas oficias reveladas, mas tem um corpo ligeiramente menor que seu antecessor e também é um pouco mais fino. Até onde sabemos, ele só estará disponível na cor preta.

Os melhores jogos do Xbox

xbox-one-jogosImagem: Kotaku

Assim como o PlayStation, o Xbox One tem exclusivos que não estão disponíveis em nenhum outro lugar, embora todos os seus títulos também apareçam no PC agora – são exclusivos entre os consoles, em vez de exclusivos absolutos. A promessa da Microsoft é que todos os games feitos para o seu console irão rodar no Xbox One X, Xbox One S, e até no Xbox One original, embora a experiência deverá ser significativamente diferente em cada um deles.

Algumas das escolhas dentro do portfólio da Microsoft que você não encontra no PlayStation incluem a série de guerra espacial Halo, a série de automobilismo Forza, a série cheia de ação Gears of War e o querido indie Ori and the Blind Forest. Fundamentalmente, seus exclusivos não roubam a cena como os da Sony. Ainda hoje, esse é um sintoma da Microsoft.

Mas isso não quer dizer que a seleção de jogos da plataforma do Xbox é ruim, ou que não existam bons exclusivos para o Xbox One (mencionamos alguns acima) – mas você provavelmente encontrará mais pessoas dispostas a comprar um PlayStation se a lista de títulos exclusivos for um fator chave de decisão.

Nintendo Switch

nintendo-switchImagem: Nintendo

O Nintendo Switch corre um pouco por fora, o que geralmente é a maneira como a Nintendo gosta de fazer as coisas. Ele não tem o poder gráfico dos consoles da Sony e da Microsoft, mas, por outro lado, você pode simplesmente tirá-lo da estação fixa e carregá-lo com você aonde estiver, bem como jogar em uma tela grande por meio do HDMI em resolução 1080p.

Sobre as especificações, o Switch possui um processador de quatro núcleos com 1,020 MHz com 4GB de RAM, o que chega a 1 teraflop de poder gráfico. Os 32GB de armazenamento são incluídos no pacote, mas dá para expandir por meio de cartão microSD, e tudo isso irá te custar US$ 300. A Nintendo não atua mais no Brasil, então, se você quiser um desses, precisará importar. Você terá ainda dois controles Joy-Con e uma estação do Switch na caixa dentro desse pacote.

O Switch é de uma certa forma uma ponte entre os jogos de console e o jogos de celular e tablet, embora ele seja muito mais capaz do que esse rótulo sugere, como mostram as análises. Não, não dá para ter a mesma performance que um PlayStation ou um Xbox, mas você ainda conseguirá jogar belíssimos games nesse dispositivo.

nintendo-switch-jogosImagem: Nintendo

Você também poderá se juntar com seus amigos no mundo real e conectar até oito controles Joy-Con ao mesmo sistema de jogo – o espaço da tela que irá sobrar com a ação rolando divida em oito é uma outra questão.

Talvez os jogos sejam a maior questão em torno do Switch: a Nintendo domina o desenvolvimento de jogos dos seus próprios consoles, então enquanto você tem títulos como The Legend of Zelda: Breath of the Wild e Mario Kart 8 Deluxe apenas num console Nintendo, são poucos os jogos de outros desenvolvedores.

O quanto isso mudará no futuro terá um grande papel em determinar o quão atraente o Switch será para o gamer casual. Ele custa o mesmo que um Xbox One S ou um PS4 Slim, então é preciso realmente gostar do aspecto da portabilidade, das opções multiplayer e dos jogos da Nintendo para ter um Switch e só.

PC

pcImagem: Nvidia

Se você tiver grana, pode montar uma estação de jogos que bata fácil nos consoles da Sony e Microsoft quando se trata de gráficos. Mas fazer isso e mantê-lo funcionando é algo que dá um pouco mais de trabalho (e geralmente custa mais grana) do que simplesmente comprar um console e conectá-lo na televisão. Esse é o motivo pelo qual muitos gamers se mantêm nas opções de consoles.

Jogar em 4K certamente é possível em um PC, e você terá praticamente as melhores opções de jogos também – nesse caso, todos os títulos disponíveis para todas as plataformas e os games do Xbox One, já que a Sony e Nintendo possuem exclusivos. É claro que as especificações dependem de você, mas, para efeito de comparação, a placa gráfica Nvidia GeForce GTX 1080 Ti oferece 11,3 teraflops de poder gráfico (mas você vai precisar pagar R$ 3.500 por ela).

O PC também é um computador completo, o que significa que você pode fazer um monte de outras coisas além de jogar, sem contar as opções de streaming de Netflix e outras reproduções de mídias que os consoles também fazem. Os PCs costumam atrair a galera mais entusiasta e hardcore – aqueles que são obcecados por taxa de atualização de quadros –, mas até mesmo um computador com especificações medianas consegue fazer um trabalho decente com os jogos mais modernos.

Imagem do topo: Sony/Microsoft/Nintendo




VOLTAR AO TOPO