Gizmodo



Segurança

O amor faz as pessoas fazerem coisas idiotas. Mas existem passos práticos e fáceis que podemos tomar para manter a nossa privacidade durante os relacionamentos românticos, e mudar um comportamento simples agora pode nos manter seguros depois se o relacionamento acabar mal.

• Como bloquear seu smartphone da forma mais segura
• Como navegar na web sem deixar rastros

Embora muitas das dezenas de milhares de hackers que descem em Las Vegas todos os anos para a conferência de segurança DEF CON estão lá para quebrar as coisas, muitos deles estão lá para jogar na defesa também. Lauren Rucker, uma analista de risco que foi consultora da NASA, treinou os participantes na manutenção de seus direitos de privacidade durante relacionamentos.

“Se você está morando com alguém ou em um casamento com alguém, você está cedendo muitos dos seus direitos de privacidade, porque está compartilhando muito com essa pessoa de qualquer maneira”, disse Rucker.

Rucker recomenda várias etapas básicas para a higiene cibernética enquanto namora:

1. Não compartilhe suas senhas ou dispositivos

Manter-se seguro em relacionamentos requer a definição de novas normas de comportamento antes do relacionamento dar errado, diz Rucker. Muitas pessoas compartilham suas senhas de Netflix ou Amazon com seus parceiros, mas, assim, podem causar problemas legais mais tarde.

Os tribunais às vezes consideram todas as senhas como iguais, criticando uma vítima cujo Facebook foi hackeada por seu parceiro porque compartilhou uma senha da Amazon com ele. O tribunal perguntou se uma senha poderia ser considerada privada, já que ela também servia para outras contas, explicou Rucker. “Se você divide uma conta iCloud e está compartilhando fotos desse jeito, você está compartilhando contas aos olhos do tribunal”, disse Rucker.

Os dispositivos de compartilhamento também podem enfraquecer seus direitos de privacidade se você acabar no tribunal. “Você não sabe necessariamente como as coisas vão acabar e como elas podem ficar ruins”, disse Rucker. Proteja seu laptop com uma senha e criptografe seu disco rígido para garantir que seus dados estejam seguros. Se você quiser permitir que seu parceiro use seu laptop, configure uma conta separada para ele, em vez de deixá-lo entrar na sua.

2. Configure um número do Google Voice para usar nos primeiros encontros

A maioria de nós saiu em encontros com estranhos da internet em algum momento. Mas mesmo se você encontrar seu parceiro na vida real, é uma boa ideia dar para eles um número de Google Voice quando começarem a conversar, Rucker disse. Infelizmente, o serviço não está disponível no Brasil e se você realmente estiver preocupado com isso, vale a pena tentar um chip pré-pago. O Google Voice permite aos usuários gerarem números de telefone gratuitamente e usá-los para configurar outros serviços de bate-papo seguros, como WhatsApp ou Signal. Um usuário pode desligar seu número de Google Voice e pegar um novo se o seu parceiro se revelar um esquisito, e não precisa passar pelo problema de mudar seu número real e ter que mandá-lo para todos os amigos.

3. Use uma VPN em redes Wi-Fi compartilhadas, incluindo sua rede doméstica

Sabemos que cônjuges abusivos costumam vigiar a atividade online de seus parceiros. Embora o spouseware, malware que furtivamente rastreia geolocalização, sms, chamadas e outras informações, seja um problema, Rucker lembra que pessoas abusivas podem também rastrear o que seus parceiros estão fazendo através da rede do Wi-Fi. Usar um VPN em casa pode ajudar a manter seus dados privados.

4. Se você for fazer uma filmagem sexual, faça consensualmente e de maneira privada

Todos nós ouvimos histórias sobre ex-namorados com raiva vazando fotos nuas para se vingar de um parceiro. Mas isso não deve necessariamente desencorajar as pessoas a tirar nudes. Ainda assim, parceiros podem tomar decisões que ajudam nos seus direitos de privacidade mais para frente, Rucker explicou.

Ela citou o exemplo de um caso de divórcio de 2006 no qual a mulher secretamente filmava seu marido no seu escritório em casa. Uma corte de Nova Jersey decidiu que o homem não tinha uma expectativa de privacidade razoável em seu escritório caseiro porque o espaço era compartilhado pela família. No entanto, outras cortes disseram que casais têm uma expectativa razoável de privacidade no quarto e protegeram mulheres que foram filmadas não consensualmente por seus parceiros. Escolher o local correto pode proteger você, Rucker explicou. “Se a área é visitada por múltiplas pessoas, provavelmente não é um lugar privado; e não vai se sustentar no tribunal”, ela disse.

Imagem do topo: Getty




VOLTAR AO TOPO