Gizmodo



hands-on

Comprar smartphone em 2016 não tem sido uma tarefa fácil, por causa do dólar alto e das incertezas quanto à Lei do Bem. Achar um aparelho para quem exige um pouco mais de especificações é bem difícil. Diante desse cenário, chega a Quantum – uma unidade de negócio da Positivo – com seu terceiro modelo, o Fly. A proposta é bem interessante, mas ainda não sabemos se ela corresponde ao hype.

Sony tem um novo smartphone high-end e um Walkman banhado a ouro
Moto Z Play traz conector para fones de ouvido e módulo de câmera Hasselblad

Por ora, é possível afirmar que este é, no mínimo, um smartphone bem bonito e com especificações de respeito. Durante o lançamento nesta quarta-feira (31), a empresa disse que ouve muitos os usuários e que conta com uma comunidade ativa (lembra a Xiaomi: sim, claro ou com certeza?). Logo, os recursos foram feitos majoritariamente baseados nos grupos de discussão em redes sociais da marca.

Abaixo, um pouco do que foi nosso primeiro contato com o aparelho:

Com o Quantum Fly nas mãos

Trata-se de um aparelho classudo na versão chumbo (cedida pela Quantum para testes), porém com um material plástico na traseira. As laterais são metálicas com bordas arredondadas. Seus três botões físicos ficam todos de um só lado, e os virtuais são os clássicos presentes no Android.

O leitor de biometria é uma boa surpresa do dispositivo. Enquanto algumas marcas preferem colocá-lo na parte frontal, o do Quantum Fly fica na parte traseira. Logo, deve ser comum que você desbloqueie o aparelho com seus dedos indicadores.

quantumfly-3

É um aparelho com boa pegada: mesmo para quem tem mão pequena, ele se encaixa muito bem. A tela LCD Full HD de 5,2 polegadas não ocupa toda a parte frontal, e essa moldura permite segurá-lo sem dar toques involuntários na tela.

O Quantum Fly é estiloso por fora, e traz especificações técnicas de respeito por dentro. Ele é equipado com o processador MediaTek Helio X20 deca-core. Este chip chinês conta com a tecnologia tri-cluster — três arranjos de núcleos organizados da seguinte forma: 4 com 1,43 GHz; 4 com 1,9 GHz; e outros dois com 2,1 GHz. A ideia é que os clusters sejam usados conforme o nível de complexidade de tarefas executadas no smartphone.

quantumfly-2

O aparelho conta ainda com 3 GB de RAM, bateria de 3.000 mAh e armazenamento de 32 GB. É possível aumentá-lo com cartão microSD até 128 GB, mas com uma limitação: ele pode ser dual-chip (suportando um chip nano-SIM e outro micro-SIM) ou single-chip, usando um nano-SIM e um cartão microSD.

O conjunto de câmeras tem boas especificações no papel. O sensor principal tira fotos de até 16 megapixels com abertura f/2.0 e foco automático, e grava vídeos em Full HD. Já a câmera frontal tem um sensor de 8 megapixels com abertura de 80° e flash para selfies.

quantumfly-4

Te lembra alguma coisa esses alto-falantes?

Android quase puro

O mote “menos é mais” parece estar ganhando tração entre as marcas de smartphone. O Android 6.0 do Quantum Fly é quase puro. De diferente, ele tem uns cinco programas proprietários, como o manual do usuário, Quantum+ (uma espécie de comunidade de donos de aparelhos da marca) e um gerenciador de arquivos. Outra personalização da companhia foi colocar um limpador de memória ao acessar o gerenciador de tarefas.

É possível ainda escutar rádio nele e fazer gravações com o Dash Cam, um app que tem como proposta ser uma espécie de filmadora veicular. Pelo fato de o estado do Paraná, sede da Quantum, ser conhecido como Rússia brasileira (como bem exemplifica o blog “Paraná, a Rússia brasileira“), talvez eles acreditem que as pessoas possam gravar vídeos como este ou talvez um trajeto bacana durante uma viagem.

Disponibilidade e preço

Ainda no mesmo esquema de venda direta pelo próprio site, a Quantum vai vender o Fly por R$ 1.299 (à vista no boleto) ou R$ 1.499 (parcelado no cartão de crédito). Ele estará disponível em três cores: Stone Grey (cinza), Aurora Blue (azul) e Cherry Blossom (rosa). Os aparelhos poderão ser vistos pessoalmente pelos consumidores em quiosques da marca, já que não são vendidos no varejo convencional.

Interessante notar que, com este valor e especificações, ele fica num patamar bem próximo do Moto G4 Plus. O diferencial do aparelho da Lenovo é a tela um pouco maior (5,5” contra 5,2”), enquanto o Quantum tem mais RAM (3 GB contra 2 GB no aparelho da Motorola).

Especificações – Quantum Fly:

Tela: 5,2” LCD com resolução Full HD (1080 x 1920 pixels), 423 PPI
Processador: processador MediaTek Helio X20 deca-core de 64 bits a 2,1 GHz
RAM: 3 GB LPDDR3
Armazenamento: 32 GB (expansível até 128 GB com cartão de memória micro SD)
Sistema operacional: Android 6.0 Marshmallow
Câmeras: traseira de 16 MP com Quantum Resolution, flash, PDAF, f/2.0 e lentes 5P; e frontal de 8MP com flash frontal físico, PDAF, ângulo de 80º e f/2.2
SIM Cards: Dual SIM (NanoSIM e MicroSIM)
Entradas: microUSB e fone de ouvido 3,5 mm
Conexões sem fio: Bluetooth 4.1, Wi-Fi 802.11 b/g/n
Bateria: 3.000 mAh
Cores: Aurora Blue (Azul), Cherry Blossom (Rosa) e Stone Grey (Cinza)
Dimensões: 14,92 cm x 7,35 cm x 0,75 cm de espessura
Peso: 140 g
Sensores: leitor de impressões digitais, giroscópio, bússola (E-Compass), magnetômetro (Hall), acelerômetro, luminosidade e proximidade
Preço: R$ 1.299 (à vista) ou R$ 1.499 (parcelado no cartão)




VOLTAR AO TOPO