Gizmodo



crime

Autoridades acusaram Tyler Barriss, de 25 anos e morador de Los Angeles, de homicídio culposo depois de um trote telefônico que levou um policial de Wichita, no Kansas, a atirar e matar um homem inocente, de acordo com reportagem do L.A. Times.

• Dados de atividade física do iPhone são utilizados para desvendar assassinato na Alemanha
• Cabeça e pernas de jornalista morta em submarino caseiro são encontrados

Registros do tribunal liberados na última sexta-feira (12) mostram que os promotores acusaram Barriss de homicídio culposo, interferência no cumprimento da lei e por criar um alarme falso. De acordo com o Times, Barriss está preso sob fiança de US$ 500 mil pelo incidente que aconteceu no dia 28 de dezembro, quando ele teria telefonado para relatar uma situação com reféns na casa de uma pessoa.

Ele realizou a denúncia após uma discussão em uma partida de Call of Duty. Esse tipo de trote é conhecido como “swatting”, quando uma ligação anônima denuncia uma situação criminosa e leva os policiais a invadir a casa de alguém. A polícia de Wichita chegou ao local da denúncia, atirou e matou um homem que nem estava envolvido na discussão do jogo.

O procurador do distrito do Condado de Sedgwick, Marc Bennett, disse ao L.A. Times que outros “suspeitos” podem estar envolvidos, mas “como se pode imaginar, quando computadores e videogames estão envolvidos, é preciso um pouco de análise forense”.

Barriss, que segundo o Krebs on Security utilizava o apelido “SWAuTistic” na internet, possui um longo histórico de acusações similares, como mostra o L.A Times:

Ele não contestou as acusações de que teria realizado falsas ameaças de bomba na área de Los Angeles nos últimos anos, provocando evacuações em uma estação de televisão em Glendale e de duas escolas, conforme mostram os registros.

A polícia de Glendale acredita que ele estava envolvido em pelo menos duas dúzias de trotes e swatting na região do Sul da Califórnia. O Departamento de Polícia de Los Angeles está investigando Barriss por ter realizado ligações parecidas no final de 2017 e tinha um encontro marcado com procuradores federais antes de prender o jovem de 25 anos suspeito de ter conexões com o incidente em Kansas.

De acordo com o site Glixel, se Barris for condenado por homicídio culposo, a pena pode ter entre “31 a 136 meses, dependendo de diversos fatores, como antecedentes criminais”. O Globe and Mail nota que autoridades canadenses acusaram Barriss recentemente de crimes parecidos em Calgary, embora ninguém tenha ficado ferido no incidente.

O policial que atirou e matou o homem em Wichita está afastado, e, de acordo com o Wichita Eagle, pelo menos um especialista que analisou as evidências e imagens diz que ele, “aparentemente, atirou precipitadamente”.

[L.A. Times]

Foto do todo: AP




VOLTAR AO TOPO