Gizmodo



privacidade

O Pornhub tomou uma postura rigorosa contra os deepfakes, já que o site entendeu que os vídeos gerados por inteligência artificial de aprendizado de máquina que podiam trocar os rostos dos atores pelos de outras pessoas eram não-consensuais. Mas uma ação judicial recente agora acusa a empresa de usar o rosto de uma pessoa em um anúncio sem o seu consentimento.

• Facebook teve bug que alterou configurações de privacidade de publicações na rede
• Facebook chegou a compartilhar dados pessoais de usuários com fabricantes chinesas

Edward Kelly, da região de Marlton, em Nova Jersey, processou a MindGeek, proprietária do Pornhub, depois que um amigo lhe contou que sua foto estava no site, de acordo com o Courier Post. Na selfie, Kelly está vestindo um boné do Pittsburg Pirates, meio que de lado, e segurando uma pilha de notas de US$ 100. O anúncio trazia junto com a imagem as inscrições: “Ganhe US$ 725/dia como eu” e “Veja como conseguir”.

A selfie de Edward Kelly na versão sem anúncio. Crédito: Federal Court Documents

O processo — inicialmente levado ao tribunal estadual e transferido para um tribunal federal de Nova Jersey — alega que Kelly tirou sua própria foto e era dono dela. A ação afirma que “alguém da equipe de publicidade do Pornhub achou a foto” e a usou sem o consentimento de Kelly. O processo alega que a foto apareceu no Pornhub por pelo menos seis anos e que as pessoas a vendo “poderiam razoavelmente acreditar que Kelly havia intencionalmente consentido para o uso de sua imagem pelo Pornhub”.

O Pornhub enviou ao Gizmodo um comunicado de seu vice-presidente, Corey Price: “Embora geralmente não comentemos sobre casos na justiça, gostaríamos de esclarecer que o Pornhub não criou o anúncio em questão. Nossos banners são executados por redes de terceiros, em que anunciantes colocam diretamente seu conteúdo”.

A Mindgeek não respondeu imediatamente a um pedido de comentários do Gizmodo.

Kelly está processando a companhia em mais de US$ 3 milhões por danos emocionais, danos à sua reputação e por “lucros do infrator”.

[NJ.com/Courier Post]

Imagem do topo: Getty




VOLTAR AO TOPO