Gizmodo



Apple

Durante o evento de ontem, a Apple passou um bom tempo afirmando que o iPhone 7 é a geração mais “refinada” de seu smartphone até agora – uma maneira bonita de dizer que ele tem um design parecido com o modelo do ano anterior. Fora o acabamento ligeiramente diferente para a versão jet black, algumas linhas diferentes na parte das antenas e a perda apocalíptica do conector para fones, o iPhone 7 e o iPhone 7 Plus são bem parecidos com seus antecessores.

Bem, durante a última década, o iPhone percorreu um longo caminho, e é esperado que o design estabilize um pouco. A necessidade por mudanças radicais desaparece conforme se aproxima daquilo que as pessoas realmente querem. Ainda assim, não se trata aqui apenas de um pequeno avanço – o iPhone 7 ganhou mudanças maiores.

• iPhone 7: tudo que você precisa saber sobre o novo smartphone da Apple
• Apple Watch Series 2 traz GPS embutido, tela mais brilhante e design à prova d’água
• AirPods: os fones de ouvido sem fio da Apple de R$ 1.399

iphone-7-hands-on-2

O botão Home não é mais um botão, o que é estranho

Alguns rumores indicam que a Apple deixará o botão Home de lado no ano que vem, mas por enquanto ele continua aqui, ainda que seja de forma diferente. Ele é um componente único, que não se move e que usa a mesma tecnologia presente no touchpad dos novos MacBooks, o tactic feedback. Com ela, se percebe uma pequena vibração como forma de interação.

Quando apertei o botão pela primeira vez, fiquei surpresa com o feedback imediato. A boa notícia é que mesmo não sendo um botão, ele se parece com um.

A má notícia é que, bem, o botão vibra. É um pouco diferente do feedback que existe nos atuais iPhones ao usar o Touch ID ou o Apple Pay. É um feedback mais forte.

iphone-7-hands-on-3

O representante da Apple que demonstrou o novo botão me disse que levaria apenas alguns minutos para eu me acostumar com a novidade. Acho que levará mais tempo, já que são anos que sempre funcionou da mesma forma.

É possível ajustar a sensibilidade do “clique” do botão Home, e aparentemente serão possíveis ainda mais customizações no futuro. Por padrão, a sensibilidade está configurada no nível 2, mas você pode pedir para que ele identifique toques mais leves ou mais fortes. Pessoalmente, eu achei que o nível 1 – que precisa apenas de um toque leve – era o melhor.

Mesmo que essa história de vibração não te agrade muito, deixar o botão físico de lado tem vantagens – imagino que isso cause menos defeitos. Ainda melhor, isso ajuda o smartphone a ser resistente à água. Para quem já derrubou um celular na pia (ou na privada) e teve que colocá-lo imediatamente no arroz, sabe que esse é um grande avanço. Claro, o iPhone não é o primeiro celular resistente à água e poeira – Samsung, Sony e outras fabricantes já estão nessa há um bom tempo. A Apple demorou, mas chegou lá.

A nova câmera tem potencial para ser incrível

iphone-7-hands-on-4
A novidade mais chamativa do iPhone 7 e 7 Plus é, de longe, o novo sistema de câmeras. No geral, o conjunto de 12 megapixels foi reprojetado nos dois aparelhos para funcionar melhor em condições de baixa iluminação e para capturar as cores com mais precisão e com melhor foco.

O destaque mesmo são as duas câmeras traseiras do iPhone 7 Plus. A Apple colocou dois sensores na traseira do aparelho que trabalham em conjunto. Essa pode ser a câmera mais competente de um smartphone até agora.

As duas câmeras não são exatamente iguais. Uma delas tem lente de 28 mm, enquanto a outra tem lente “telefoto” de 56 mm. Isso significa que você pode alternar entre as duas e ter um zoom óptico de 2x – nada de zoom digital que estraga as fotos.

Por padrão, você usa a lente grande angular de 28 mm, mas ao apertar o botão “2x” no app da câmera, você vai para o outro modo que ativa a lente com zoom.

Ainda é possível dar zoom digital de até 10x. O zoom digital de 10x é terrível – mas durante o meu rápido teste, ele apresentou menos ruído do que aquilo que estamos acostumados. Eu me impressionei com o zoom até 5x. Ainda tem todo aquele efeito de ruído, mas a distorção e os defeitos na imagem ficaram muito, muito menos visíveis do que o normal.
iphone-7-hands-on-5
Infelizmente, o truque mais legal que a Apple terá para a câmera do iPhone 7 Plus ainda não está totalmente pronto. É o modo de profundidade de campo que usará as duas câmeras simultaneamente para fazer fotos com efeito bokeh. Basicamente, a câmera irá tirar uma foto do primeiro plano da cena com a lente telefoto, e usará a lente grande angular para desfocar o fundo. A funcionalidade não estará disponível até o final do ano, mas os exemplos que vi pareciam ótimos. Além disso, a Apple irá abrir essa possibilidade para os desenvolvedores.

Eu uso uma Sony RX100 MkIV como câmera para o dia-a-dia. Embora eu saiba que ela conseguirá tirar melhores fotos (e com mais zoom) do que um iPhone 7 Plus, eu não tenho certeza se a diferença valerá a pena quando eu não tiver muito a fim de levar a câmera comigo.

Conclusão

É evidente que os novos iPhones são os melhores iPhones já feitos. A Apple poderia fazer pequenas melhorias e ainda assim milhões de pessoas o comprariam no final do ano. É bom ver que a Apple está tentando fazer as coisas diferentes e avançar com as tecnologias.

Claro, talvez o botão Home nos irrite. E talvez a câmera não seja tudo isso que a companhia afirma. Mas podemos dizer que essas mudanças são diferentes de tudo que já foi feito pela fabricante. Ainda não o analisamos por completo, mas está claro que o iPhone 7 tem grandes ideias dentro do familiar chassi de alumínio.




VOLTAR AO TOPO