Gizmodo



google

Com as infinitas controvérsias sobre conteúdo no YouTube (incluindo, mais recentemente, um vídeo do vlogueiro Logan Paul filmado na “Floresta do Suicidio” no Japão), o Google anunciou grandes mudanças na noite dessa terça (16) sobre como vídeos serão monetizados no site.

Um vlogueiro idiota achou que seria uma boa ideia publicar o corpo de uma vítima de suicídio
YouTube estuda ‘consequências’ para vlogger que publicou o corpo de vítima de suicídio

A partir de agora, a companhia diz que grandes canais que fazem parte do cobiçado programa Google Preferred serão manualmente examinados para determinar a facilidade/acessibilidade para os anúncios. No entanto, a rede muda drasticamente como canais menores poderão monetizar os seus vídeos – e os vlogueiros estão bravos.

Todos: Por favor, faça algo quanto ao favoritismo por seus maiores criadores como Logan Paul

YouTube: Ok está bem cancelaremos o programa dele…. e agora todos os criadores com menos de 1.000 inscritos não se qualificarão para a monetização ou thumbnails customizadas TENHA UM BOM DIA

O YouTube vem passando por problemas nos últimos meses com a presença de conteúdo impróprio em seu serviço. Além de uma estrela do canal compartilhando um vídeo completamente insensível, o site recebeu criticas recentemente por manter vídeos de supremacistas brancos e teoristas da conspiração na plataforma.

E em novembro, o YouTube foi alvo de mais escrutínio por hospedar conteúdo perturbante com foco infantil. Em uma postagem subsequente, Susan Wojcicki, CEO da rede, diz que a companhia expandirá a equipe que monitora violações das políticas para dez mil pessoas ainda este ano.

Valeu @youtube. Você acaba de ferrar pequenos criadores ainda mais. Não aparecemos no algoritmo que impulsiona vídeos sem a opção de monetização. Então como iremos crescer se não temos exposição?

Mas a nova estratégia de monetização não só não faz muito por aqueles preocupados com as violações como sinaliza os pequenos criadores que eles não são importantes o bastante para a empresa. Sob as novas diretrizes, canais precisarão ter 1 mil seguidores e 4 mil horas de conteúdo assistido no último ano para se tornar elegível para receber receita dos anúncios.

Anteriormente, era necessário ter apenas 10 mil visualizações para aplicar anúncios nos vídeos. Todos os canais do Google Preferred também serão manualmente analisados, com anúncios passando apenas nos vídeos que foram aprovados. A aplicação das novas diretrizes terá início em 20 de fevereiro.

*Youtuber famoso carrega um vídeo na floresta do suicídio mostrando um corpo enforcado* monetização/parceria do seu canal não é encerrada

*Pequeno youtuber amigável não tem mais de 1000 inscritos ou 4000 horas de conteúdo visto nos últimos 12 meses* programa de parceria é encerrado por ser pequeno

YouTube

As mudanças com certeza vão satisfazer anunciantes preocupados com o que o seu produto ou marca é associado – como corpos ou vídeos bizarros destinados a crianças – mas ela também mostra que, no final das contas, o YouTube não vê muito valor nos canais menores – e se eles não causam tanto impacto monetário ao Google, ele tem pouca motivação para se preocupar. Para os canais pequenos que não serão afetados mas que ainda buscam receita dos anúncios do YouTube, a mudança é um lembrete que, para o Google, eles quase não têm importância.




VOLTAR AO TOPO