Gizmodo



criptografia

Duas notícias: uma boa e uma ruim. A boa é que o Skype vai finalmente começar a oferecer criptografia ponto a ponto, o que dificulta ou impede, por exemplo, a interceptação de conversas. A ruim é que a empresa chegou com um baita atraso nessa onda, pois o WhatsApp, o Facebook Messenger e até o Allo, do Google, já possuem a função.

Que fique claro: nunca é tarde para oferecer criptografia, mas o Skype demorou um pouco demais para entrar na onda, né? O WhatApp, por exemplo, começou a testar em aparelhos Android em 2014 e nesse mesmo ano já implementou para todos os usuários.

WhatsApp começa a liberar função de apagar mensagens enviadas
O sistema de tradução simultânea do Skype agora funciona para ligações telefônicas

Pelo menos a implementação do recurso de segurança no Skype vai contar com a Signal, a empresa que desenvolveu o mesmo protocolo utilizado pelo WhatsApp e outros apps.

“A Microsoft se juntou a uma crescente lista de organizações, incluindo WhatsApp, Google, Facebook e a própria Signal, e vai implementar o protocolo de código aberto Open Signal em sua plataforma de mensagem”, informou a Signal em um blog post. “Com milhões de usuários ativos, o Skype é uma das aplicações mais populares do mundo, e estamos animados que o recurso Conversas Privadas do Skype permitirá que mais usuários aproveitem as propriedades da forte criptografia proporcionada pelo protocolo Signal para se comunicar de forma mais segura.”

A funcionalidade Conversas Privadas (tradução livre do termo Private Conversations) permitirá criptografia apenas em conversas entre duas pessoas — não vai funcionar em conversas em grupo, por exemplo.

O recurso também não vai sincronizar informações em todos os dispositivos, o que significa que você não verá se não tiver logado no seu computador. Para sinalizar que é uma conversa segura, o Skype vai mostrar um ícone de cadeado próximo ao nome do contato.

Usuário será notificado de que estará em uma conversa privada no Skype. Crédito: Signal

Conversas Privadas ainda não está disponível para todo mundo — apenas alguns usuários que fazem parte do programa Insider (que recebem atualizações de teste antes) têm a funcionalidade.

Imagem do topo: Getty Images




VOLTAR AO TOPO