Gizmodo



carros

Volkswagen e Hyundai planejam ter os próprios carros autônomos nas ruas até 2021 e pretendem fazer isso com o auxílio da novata Aurora, empresa de carros autônomos fundada por antigos executivos do Google, Uber e Tesla. Apesar de nova, a empresa tem se movido rápido e pode ser uma grande concorrente às demais empresas do ramo, como a Waymo, do Google, e os planos de carros autônomos da Uber.

Tudo sobre a CES 2018
Passeamos em um carro autônomo Waymo e foi surpreendentemente tranquilo
É uma cilada, Bino: como fazer os carros autônomos serem mais confiáveis

Fundada por pioneiros da tecnologia de carros autônomos, Chris Urmson (CEO da Aurora, ex-fundador e ex-líder técnico do programa de carros autônomos no Google até 2016), Sterling Anderson (CPO da Aurora e ex-chefe do Autopilot, programa de carros semiautônomos na Tesla) e Drew Bagnell (CTO da Aurora e ex-líder no projeto de carros autônomos na Uber), a Aurora tem operado em segredo desde seu lançamento em janeiro de 2017 e firmou parceria com a Volkswagem há seis meses, segundo informações da Fortune.

O plano da Aurora é prover soluções completas para carros autônomos, ou seja, a empresa desenvolve os sensores, softwares e dados necessários para que veículos não precisem do controle humano para se locomover. “Nossa missão é entregar tecnologia de carros autônomos de forma segura, rápida e abrangente. E para fazer isso, precisávamos encontrar parceiros automotivos que tenham escala global”, disse Urmson, CEO da Aurora, a Wired.

Em outras palavras, a empresa que não faz carros, mas pode fazê-los se locomoveram sozinhos precisava de parceiros no mercado automotivo. E ela encontrou dois parceiros bem grandes.

A princípio, a tecnologia será desenvolvida para veículos autônomos pequenos, como o SEDRIC da Volkswagem, mas segundo Johann Jungwirth, diretor digital do VW Group, a tecnologia desenvolvida pela Aurora pode vir a ser implementada em outros veículos, como até mesmo caminhões e vans de entrega. “Mobilidade como serviço” é o novo plano da Volkswagem, explica Jungwirth.

SEDRIC, o veículo que receberá a tecnologia de carros autônomos desenvolvida pela Aurora. (Créditos: Volkswagen)

A empresa pretende iniciar testes com os veículos autônomos em rodovias públicas ainda este ano, e lançar frotas em até cinco cidades a partir de 2021 – Jungwirth não diz quais serão as cidades, mas afirma que algumas serão nos EUA.

Atualmente, a Aurora foca em sistemas autônomos de Nível 4. Designado pela SAE International, a entidade responsável por estudos de engenharia automobilística e montadoras do ramo, o Nível 4 significa que o carro precisa de comandos humanos para tomar o controle da direção em certas condições — alguém precisa apertar um botão para que o veículo possa dirigir por conta própria, por exemplo.

Para o futuro, a Aurora visa implementar o Nível 5, que, ainda segundo a SAE Internacional, é a classificação em que o carro é autônomo em todas as circunstâncias e ambientes.

Além da Volkswagem, a Aurora também firmou parceria com a Hyundai. A montadora quer implementar veículos autônomos de Nível 4 até 2021. A tecnologia da Aurora será integrada a nova geração de veículos Hyundai movidos a combustível hidrogênio e os testes devem iniciar ainda este ano.

O primeiro veículo autônomo da Hyundai será revelado na próxima semana durante a CES 2018.

Outras montadoras também têm investido pesado em tecnologias para veículos autônomos – a Fiat Chrysler trabalha em conjunto com a Waymo desde 2016 (e deve lançar seu serviço de caronas por veículos autônomos em 2019), a GM comprou a startup Cruise em 2016, a Delphi comprou a Nutonomy, a Ford investirá US$ 1 bilhão na Argo AI nos próximos cinco anos e a Uber, por sua vez, vem desenvolvendo suas próprias tecnologias autônomas depois de fazer uma limpeza na Universidade Carnegie Mellon e no National Robotics Engineering Center.

[Fortune, Wired]




VOLTAR AO TOPO