Gizmodo



smartphone

Quando a Xiaomi anunciou o Mi Note 2, foi impossível não notar a inspiração no visual do Galaxy Note 7, o celular explosivo da Samsung. O que ninguém imaginava é que o aparelho Xiaomi também iria pegar fogo – e pior, no Brasil. O caso aconteceu na última terça-feira (8), em Salvador, Bahia.

• O principal motivo pelo qual baterias explodem e pegam fogo
• O que a saída de Hugo Barra da Xiaomi significa para a marca no Brasil

Já faz dois anos que a Xiaomi começou a sair de fininho do Brasil, e sua página nacional redireciona automaticamente para o endereço global. No entanto, seus produtos são adquiridos facilmente por meio de sites de importação. Foi o caso de Gabriel Kruschewsky Vaz, que comprou seu Mi Note 2 pelo site GearBest, em abril. Gabriel contou ao Gizmodo Brasil que estava indo para o trabalho e, ao sentar no banco de motorista do carro, ouviu um “chiado”, um barulho típico de algo pegando fogo. Quando olhou para o bolso da frente de sua bermuda, reparou que estava saindo fumaça.

“Empurrei o celular para fora da bermuda, foi meio instintivo e ele caiu debaixo do freio de mão do carro, entre os dois bancos e ficou lá pegando fogo e saindo fumaça. Acho que só não pegou fogo no banco do carro porque o banco é de couro. Saí do carro e abri as duas portas para a fumaça sair. Fiquei com medo de tirar o celular de dentro do carro com minhas mãos e isso provocar uma explosão”, conta.

Uma pessoa que estava próxima do local do incidente conseguiu tirar o celular do carro e ninguém se feriu – apenas o bolso da bermuda ficou queimado. Gabriel recolheu o celular e tenta contato com a loja e com a Xiaomi, mas as respostas que recebeu não foram muito conclusivas. Segundo ele, a GearBest lamentou o ocorrido mas pediu um número SQU do aparelho, mas não deu instruções de como encontrar esse dado. A Xiaomi, por sua vez, também pediu dados do aparelho, como IMEI, mas não deu mais detalhes sobre como irá lidar com o caso.

Gabriel conta também que o celular não estava carregando no momento da combustão. Ele afirma também que só utilizou acessórios originais que vieram na caixa do Mi Note 2 e apenas um carregador portátil da própria Xiaomi – que já não era utilizado há algumas semanas. A possibilidade do celular ter entortado na hora em que entrou no carro não foi descartada, mas ele afirma que o bolso de sua bermuda era largo.

O Mi Note 2 tem especificações de topo de linha, incluindo tela OLED curvada de 5,7 polegadas com resolução Full-HD, processador Snapdragon 821, além de uma bateria enorme de 4070 mAh com tecnologia Quick Charge 3.0 – ele tem 7,6 mm de espessura e mede 156.2 x 77.3. O modelo não aparece na lista de celulares certificados pela Anatel.

Esse não é o único caso recente de smartphones da Xiaomi pegando fogo. No final de julho, um Redmi Note 4 explodiu na Índia. O aparelho estava exposto em uma loja e também não estava plugado no carregador quando pegou fogo.

Entramos em contato com a Xiaomi e atualizaremos a publicação quando recebermos alguma resposta.

Atualização às 18h40: O dono do aparelho não comentou antes da publicação desta matéria que tinha trocado da traseira do aparelho após uma queda. Ele próprio realizou o reparo da tampa traseira, mas disse que “foi uma troca de encaixe, sem afetar a bateria”. Gabriel nos enviou a foto do aparelho com a traseira quebrada e disse que seguiu as instruções deste tutorial para realizar o conserto e que “a tampa praticamente se desencaixou sozinha”.




VOLTAR AO TOPO