Gizmodo



YouTube

Se você algum dia precisou extrair o áudio de um vídeo do YouTube, é bem possível que tenha se deparado com o YouTube-MP3.org. Pois agora precisará dar adeus ao famoso conversor, de acordo com o TorrentFreak. Isso porque o site entrou em acordo com diversas gravadoras, incluindo Sony Music e Warner Bros, para o encerramento da página, cujo domínio deverá ser transferido para uma parte representando os selos.

• YouTube anuncia novidades e troca de logotipo pela primeira vez
• YouTube começa a pôr em quarentena vídeos extremistas

A RIAA, organização que representa as gravadoras nos Estados Unidos, definiu o YouTube-MP3.org como o maior site de extração de áudio do mundo, e em 2016 as gravadoras abriram um processo alegando violação de direitos autorais contra a página, responsabilizando-a por mais de 40% dos casos de extração de áudio na rede.

A alegação especificamente citava 304 músicas cujos áudios teriam sido extraídos ilegalmente por meio do YouTube-MP3.org, incluindo canções de Frank Ocean, Lady Gaga e Weezer, entre vários outros artistas. As gravadoras pediam US$ 150 mil para cada caso em que fosse comprovada a violação de direitos autorais, alegando que o YouTube-MP3.org lucrava em cima de seu conteúdo ao permitir a distribuição ilegal e ao arrecadar com anúncios ao redirecionar usuários ao site. “Dezenas, ou mesmo centenas, de milhões de faixas são ilegalmente copiadas e distribuídas por serviços de extração a cada mês”, diz parte da alegação das gravadoras.

O YouTube-MP3.org segue no ar, mas se você tentar utilizar o serviço, o site retornará um erro, impossibilitando a extração do áudio. Um valor não divulgado foi acordado entre o site e as gravadoras, e, se o YouTube-MP3.org não seguir em frente com a transferência de domínio para as empresas, o site receberá uma ordem para ser tirado do ar em 24 horas.

[The Verge]




VOLTAR AO TOPO